Limite

lighthouse_468x286-300x183

Qual é nosso real limite para suportar as dores da alma?

Pois é, andei pensando nisso por diversas razões. Conclusão? Bem, a única que me veio à mente é que nosso limite não é limitado. Esqueçam o jogo de palavras e tentem entender meu ponto de vista.

A impressão que tenho é que o limite não existe porque a gente sempre consegue esticar um pouco mais. Já escrevi uma vez sobre uma expressão muito usada aqui nos Estados Unidos: “Pushing the Limits”.

Tudo bem que eles a usam mais para o mundo dos esportes onde os atletas sempre tentam se superar. Mas por que não traçar um paralelo à nós, simples mortais em outras áreas da vida? Por que não usar essa expressão para justificar nossa permanente luta interna? Que luta? Aquela em que tentamos superar tudo o que sentimos de negativo, ou até mesmo, coisas que acontecem em nossas vidas e que devemos passar por cima.

Por exemplo, a luta contra a depressão. Quem tem essa maldita doença está em constante conflito interno. Um lado diz que deve desistir, outro que deve reagir. Graças a Deus que a maioria das vezes quem vence é a reação.

Mas para isso, é preciso que se estique o limite, que se amplie cada vez mais a sua área. A pergunta é: Até quando?

Falando de verdade, até quando um ser humano aguenta tanta angústia, dor, sofrimento? Pois é… não tem como sair do lugar comum: ada um sabe a carga que carrega e por quanto tempo suporta carregá-la.

Entretanto, qualquer que seja o peso, deve-se lutar com todas as forças para superar esses mmentos. E não pensem o contrário, sempre temos uma carga de força extra.

Recebi ontem um comentário de um jovem leitor. Um texto que escrevi sobre depressão. Ele que tem apenas 15 anos, sofreu desse mal e agora tenta recuperar-se à duras penas, pelo que entendi.

Um adolescente sensível e corajoso. E consciente.

Um dos pilares que dão sustentação ao Ego-Sistema, por pura definição minha, é justamente a Lucidez. Dizem os especialistas que ter consciência é o primeiro passo para que se saia de qualquer problema. Concordo!

Não acho que depressão tenha cura. Acho que as pessoas apenas conseguem lidar “bem” com a doença crônica. Sabendo disso, espero que meu leitor aprenda a lidar com o que ele chama hoje de “Tristeza Profunda”.

Espero que ele tenha consciência de que é possível viver melhor. Espero que ele tenha mais força ainda para seguir adiante. O fato de ele ser novo é bem triste por um lado e muito bom por outro. Esse lado bom é que ele tem ainda muito tempo pela frente para aprender a lidar com isso da melhor forma possível.

MM

PS: Quanto à namorada… Ruan, sei que já te disseram para esperar, coisa e tal. Pois eu lhe digo: Não espere não. Pela sua sensibilidade e coragem, tenho absoluta certea de que vai encantar a maioria das mulheres que conhecer ao longo de sua vida. Tire proveito dessas qualidades incríveis e que não se vêem por aí hoje em dia.

Publicado em Ego. Tags: . 6 Comments »
%d blogueiros gostam disto: