No Que Você Acredita?

Acreditar

Nessa época do ano, época de renovar esperanças, crenças, época de fazer promessas que jamais serão cumpridas, época de fazer aquele balanço do ano que termina, época de pensar na vida indo um pouco mais para trás e rever sua trajetória… enfim, época de fazer perguntas e tentar achar respostas, a gente fica um tanto quanto mais sensível. Sensível no mais amplo sentido da palavra, sensível no sentido de sentir mais profundamente as coisas.

Não sei bem se por causa disso ou seja á por qual motivo, eu acordei com uma pergunta que me tirou o sono, literalmente.

Me levantei muito cedo e fui ao banheiro como de costume, escovei os dentes, lavei o rosto e quando me enxugava olhei minha imagem no espelho, meu velho, leal e bom amigo. Percebi um rosto cansado, um olhar profundamente preocupado… não, não é essa a palavra. Percebi um olhar triste? Talvez um pouco, mas ainda não é isso. Já sei. Era um olhar descrente. Nem sei se isso existe, mas foi isso que vi hoje cedo. Daí que surgiu a pergunta que fiz diante da imagem no espelho:

– No que você acredita?

Todo mundo acredita em alguma coisa. Ou melhor, todo mundo acredita em muita coisa. Numa época do ano que fazemos milhares de listas referentes ao ano novo, questionei por que é que não fazemos essas listas no decorrer do ano também. Por que não dizer durante a vida. Meu raciocínio lógico, insuportável de vez em quando, me fez pensar então: Já que temos lista, por que não fazer um cheklist?

Fiquei diante da minha imagem algum tempo. Fui me perguntando no que eu acredito hoje, no que já acreditei durante a vida e ainda vou acreditar lá na frente. As perguntas sem ordem, muitas sem nexo, começaram a surgir na mente de forma descontrolada. Como se tivesse aberto uma porteira e a boiada tenha se percebido livre. Fiz perguntas a mim, fiz perguntas soltas, fiz perguntas a quem nem conheço, como você aí do outro lado. Apenas deixei a mente fluir… algo como uma brainstorm.

Você acredita no amor verdadeiro? Ora, se sim, pressupõe-se que acredite no amor falso, o que nem seria amor. Você acredita em Deus? Já acreditou? Ainda vai dar uma chance a Ele no futuro? E nas amizades, acredita? Acha que são eternas? Sinceras? Absolutamente imaculadas? Sem qualquer tipo de interesse? Acredita, como eu já acreditei um dia, que as relações amorosas entre amantes são 100% boas? E no casamento, você acredita ou acha que “ele” é uma instituição falida como dizem por aí?

Que tal essa pergunta: Você acredita que trocar de parceiro amoroso vai eliminar todos os seus problemas? E as pessoas esperançosas que colocam a “culpa” pela sua infelicidade na falta de um amor, será que elas de verdade acreditam que conseguir um namorado vai mesmo fazê-las alcançar a felicidade como num passe de mágica? Acredita nas promessas e juras de amor que te fazem? Quantas vezes já te disseram que você era ou é o amor da vida da outra pessoa? Você acreditou ou acredita que seja? Quantas vezes você já disse isso para alguém. Será que acreditaram em você? E você, acreditou mesmo nas suas próprias palavras ou sabia que estava falando apenas o que o outro queria ouvir? Acredita quando te fazem uma jura de amor eterno? Quantas pessoas já juraram que te amariam para sempre? O que houve com o “sempre”, não durou? Pior, depois que aquela “relação pra vida toda acabou”, você continuou acreditando que perdeu o grande amor da sua vida? Não seria mais fácil acreditar naquilo que eu acredito quando falo que o amor da vida é aquele com quem estamos agora?

Acredita em promessas de ano novo? E nas promessas de um modo geral, acredita? Acha mesmo que fazer uma promessa vai te ajudar a conseguir o que deseja? O que será que é uma promessa, afinal? Uma barganha com Deus ou com o Santo que você é devoto? Você deseja coisas impossíveis de se alcançar a ponto de ter que fazer uma promessa? O que espera em troca, um milagre? Por falar nisso, você acredita em milagres?

Afinal de contas, você acredita em você? Acredita em promessas que faz a você mesmo? E quando os outros te prometem algo, acredita? Acredita ser capaz de realizar o que realmente deseja? Acredita que pode obter o que quer sem precisar recorrer às promessas? Foi capaz de fazer uma lista de coisas a realizar e não de desejos, como propus em outro texto de final de ano há algum tempo atrás? É capaz de fazer uma lista de realizações e não apenas de seus de desejos superficiais? Acredita ser merecedor do que deseja?

Acredita que pedir te dá automaticamente o direito de obter? Acredita que desejar é suficiente para conseguir? Acredita que fazer sempre as mesmas coisas vai produzir resultados diferentes? Acredita que depois de plantar laranjas colherá maçãs?

E sobre essa lista de promessas, resoluções de ano novo, pedidos, enfim, essa lista que está fazendo por escrito ou mentalmente para o ano de 2015, acredita que vai mesmo conseguir tudo de mão beijada? O que realmente pretende fazer para realizar? Acreditar que vai conseguir será o bastante?

Em suma, consegue ser sincero consigo mesmo a ponto de responder no que você acredita?

MM

Anúncios
Publicado em Ego. Leave a Comment »
%d blogueiros gostam disto: