Inteligência Burra

Desde que me conheço por gente gosto de observar seres humanos. Talvez seja por isso que optei por trabalhar com eles, afinal, é uma fonte inesgotável de pesquisa e problemas. Dentre milhares de observações que fiz, uma delas me intriga muito. Falo com amigos sobre isso todos os dias: Quem é que disse que somos inteligentes?

Pois é. Creio – e podem ter certeza de que falo sério – que alguém lá atrás, provável que o cara que conseguiu ver e reconhecer sua imagem num lago na idade da pedra simplesmente analisou o fato como… “Nossa, esse sou eu”. Em seguida, pegou seu bastão – aquele que usava para bater na esposa – subiu em uma colina e lançou o boato: “Somos animais racionais e inteligentes”. O boato pegou. A declaração virou uma verdade absoluta e cremos nela até hoje.

Mas eu me pergunto todo santo dia: Somos inteligentes por que, afinal? Talvez um sinal de inteligência fosse a evolução humana… Bem, aí entra o mote deste pequeno devaneio de quem vos escreve: Evolução? Já escrevi antes sobre isso. Não creio que tenha havido alguma evolução a não ser a tecnológica.

Paramos de bater em nossas esposas com um pedaço de madeira? Hum… nem todos pararam. Temos consciência de que matar é errado, ninguém tem direito de tirar a vida de outra pessoa. Acho que concordamos com isso, mas a questão é: Paramos de matar? Não e talvez jamais paremos. Somos tão estúpidos que criamos coisas que a curto, médio ou longo prazo vão nos matar, certo? Certo!

Inventamos o Big Mac para nos “alimentar” mais rapidamente porque o tempo é algo que faz falta a todos que o administram mal. E qual o efeito Big Mac em nossos corpos? Obesidade, doenças, morte! Chega de dar exemplos, acho que entenderam meu ponto.

Tecnologicamente avançamos, é um fato. Mas há um motivo por trás dessa evolução: A preguiça. Sim, disse sabiamente certa vez o filósofo contemporâneo, Leopoldo Nakata: “Tudo o que foi e ainda é inventado, criado ou desenvolvido é em nome da preguiça”.

Os exemplos pipocaram em minha mente quando o ouvi: Controle remoto, carros automáticos, máquinas de lavar, de secar, etc, etc, etc. Inegável que isso tudo é uma evolução e inquestionável de que ela foi desenvolvida em nome da preguiça. Lembremos, preguiça esta que nos engorda e mata.

Voltemos à involução. Vou direto ao ponto, ou seja, na raiz da “coisa”: Se somos de verdade seres inteligentes, por que é que precisamos das leis? Tipo… por que é que alguém teve que criar normas para o convívio em sociedade se viemos ao mundo munidos de inteligência e por conta disso podemos fazer uso do bom senso?

Oras, se todos tivessem bom senso não precisaríamos de lei alguma, não é? Afinal, diz o bom senso, diz a inteligência que ninguém pode roubar, ou seja, tirar algo que não é seu, de outra pessoa. Ninguém deve matar. E tantas outras coisas que não precisariam de milhares de leis pelo mundo afora.

Volto a perguntar: Onde está a inteligência humana? Por que é que precisamos de cordinhas formando uma fila para que um não passe na frente do outro? Deus do céu, não é óbvio que uma fila poderia – e deveria – ser formada apenas pelas pessoas que nela precisam estar?

Tenho uma teoria que prova tudo o que estou dizendo: A teoria do Armamento. Sei que alguns ficarão chocados pelo meu suposto radicalismo, mas é só uma questão de mergulhar no assunto e não ler superficialmente o que vou escrever.

Digamos que todos os seres humanos da Terra, sim, todos as 7 bilhões de pessoas, recebessem do governo uma arma municiada. Digamos ainda que as leis, todas elas fossem suspensas por apenas 30 dias. Tipo, todo mundo pode tudo sem qualquer punição. Pergunto, o que aconteceria?

Sei a resposta da maioria, converso com todos que conheço sobre essa teoria, invariavelmente a palavra caos vem à tona. Óbvio.

Mas será que se pensarmos profundamente é, ou melhor, deveria ser tão óbvio assim? Ué, se somos mesmo inteligentes, por que é que todos com uma arma nas mãos transformariam o mundo num caos? Vale pensar nisso…

A verdade é que somos macacos, mas que aprendemos a falar e cozinhar, assim podemos diversificar os pratos além das bananas. Que tal um Big Mac agora?

MM

Anúncios
Publicado em Ego. 27 Comments »

27 Respostas to “Inteligência Burra”

  1. Paulo Henrique Says:

    Cara nº 1: obrigado. Quem sou eu para despertar a ira de uma fã. Vou andar na linha.

    Curtir

  2. Paulo Henrique Says:

    Em gênero, número e grau, Yolanda. Agora entendo a intervenção do Marcelo: você é realmente doce, falha imperdoável tratá-la com acidez.

    Curtir

  3. MM Says:

    Deal!!! E não é banquinho, é uma poltrona confortável. E seus comments serão sempre bem vindos. Sobre descascar bananas, NEM A PAU!!! A menos que pague pela informação. Rs

    Curtir

  4. Paulo Henrique Says:

    Impressão minha, Kris Arruda, ou o MM acaba de me oferecer um banquinho?
    Caro Marcelo, vamos lá, porque agora quem está rindo (enquanto deveria estar trabalhando) sou eu. É isso que conta e é por isso que valorizo tanto a inteligência e o senso de humor. No final, quando todo e qualquer artifício minimamente digno que tivermos para atrair outro ser humano se render ao efeito da gravidade, o que é que vai sobrar? Em tempo, não me referi a você quando citei fragilidade. É claro que cada um tem sua porção frágil, mas esse não parece ser, nem de longe, um de seus pontos fracos.
    Minha vez de pedir desculpas se dei a impressão de desdenhar arrogantemente; como eu disse, fruto de um dia ruim. E, sem querer reacender a polêmica, estava me referindo à necessidade feroz e desgovernada das suas “protetoras” quando citei a fragilidade e o castelo de areia.
    Agora você me criou um problema, pois serei obrigado a clicar no box que diz “notifique-me de novos artigos por e-mail” e assumir a condição de duplamente vigilante. Prometo, no entanto, levantar religiosamente para enfiar goela abaixo uma colher de sopa de açúcar refinado (sem provocações ao seu diabetes) antes de comentar uma linha que seja, mas apenas se você prometer socializar os conhecimentos adquiridos na Hungria. Abraço!

    Curtir

  5. Denise Says:

    Gentemmmmmmm
    Que barraco!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Saudades dessa favela chic
    Evidente que odiei o texto. Radical e agressivo. Quase imoral.
    Mas amei o barraco.
    Beijos MM e não fique bravo comigo.

    Curtir

  6. Carla Says:

    Você é bem vindo.
    Falo como leitora número um do Marcelo Mello, desde os tempos do livro e do site Descomporte-se.
    Época divertidíssima. Agora ele ficou chato, tá sério demais.
    Mas ainda sou fã. E com fã não se brinca.

    Curtir

  7. Kris Arruda Says:

    É isso aí. Esse negócio de pedir licença pra entrar não é com a gente. Deixemos isso pras meninas, macacas de auditório. Somos mal educados mesmo.

    Curtir

  8. Yolanda Says:

    Olá Paulo, colega Macacólogo como bem disse o Marcelo,
    Creio que você está exagerando.
    Se fosse leitor deste blog, teria notado que você não é o primeiro nem será o último a polemizar muito menos a polarizar as discussões por aqui.
    E saiba, colega, é justamente esta possiblidade de discutir polêmicas o que me atrai neste espaço.
    Seja bem vindo, tenho certeza de que o Marcelo tem certas atitudes e opiniões radicais, mas trata a todos com educação ácida, podemos dizer assim (risos)
    Me senti constrangida com seu comentário, entretanto, jamais ofendida. Democracia é isto. Liberdade de expressão acima de tudo.
    Seres humanos têm que ser estudados desde sempre e para sempre, concorda?
    Abraços e fique com Deus.

    Curtir

  9. MM Says:

    Para tudo!!!
    Você pode não se sentir bem por aqui, mas a cadeira (confortável) está oferecida sim senhor…rs
    Só não será a cadeira do chefe do clã. Por razões óbvias…rs

    Curtir

  10. Paulo Henrique Says:

    Discordar? Concordo totalmente com você, Kris Arruda. Nada como senso de humor. O meu é flutuante, ácido e, confesso, muitas vezes impaciente, irritável e desprovido de etiqueta e freios morais. Por isso, é normalmente confundido com raiva. Claro, como todo macaco que se preze, reajo quando acho que devo, não sou um banana. Mas quem me conhece, sabe que também sou capaz de atitudes nobres e valorizadas por nossa sociedade exemplar. Agradeço o convite, mas meu lugar não é aqui. Quando se entra derrubando a porta, raramente te oferecem uma cadeira. Abraço!

    Curtir

  11. MM Says:

    Gente do céu… isso aqui ficou muito técnico.
    Estamos discutindo pra saber quem é o macaco mais inteligente? É isso? Que bobagem…
    Vamos lá, muita calma nessa paciência:

    Meninas leitoras: entendo perfeitamente a ira de vocês, mas o Paulo não falou nada muito além do que poderíamos esperar de um “Macacólogo” diante de duas coisas: Uma opinião que ele não concorda e um Blog com esse nome: Ego-Sistema.
    O nome sugere que ele é escrito por um outro macacólogo, o que não é o caso… ou melhor, é sim, mas não um macacólogo profissional. Eu estudo seres humanos como hobby e como um simples observador da realidade, trabalho com eles em outra área e nada além disso.
    Sempre procuro brincar em meus escritos e agora acabo de descobrir – sim, o Paulo me deu um laudo – que sou frágil e vivo num castelo de areia… droga. Não que eu me achava forte ou algo parecido, afinal, acredito que todo ser humano ou macado é frágil, apenas uns fingem melhor do que outros. Mas um laudo oficial em praça pública… vou chorar muito por conta disso. Minha terapeuta que se prepare…
    Meninas, comportem-se!!!

    Paulo Henrique: Peço desculpas se exagerei na defesa da minha leitora e macacóloga Yolanda. Eu sequer a conheço, mas como ela é assídua frequentadora deste blog, entendo que – por ser uma pessoa boa e doce – não precisava de uma resposta ácida… mas entendo sua justificatíva, todos somos ácidos quando temos um dia ruim.
    Eu vivo chupando limão em vez de comer bananas… apesar de saber descascá-las com uma metodologia que aprendi na Hungria… aliás, onde se faz o melhor bolo de bananas do mundo.
    Não sou digno de inveja, você está certíssimo. Até porque, psicólogos, psiquiátras, enfim, macacólogos profissionais jamais podem sentir inveja, senão, cai por terra a premissa da prepotência, da arrogância que é requisito básico para se formar em qualquer área ligada à pessoas…
    Ou você conhece alguém da sua área que não seja Dono da Verdade? Eu não conheço.
    Por fim, encerro minha participação nestes comentários – está ficando divertido demais e como frágil que sou, preciso aprender a não brincar – dizendo o seguinte:
    As pessoas – inteligentes – levam as coisas para o lado pessoal e isso é um erro tremendo. Opniões fortes como a sua, como as minhas que você arrogantemente desdenhou, devem ser respeitadas e aqui eu respeito todas, afinal, nem preciso aprovar comentários, é um blog aberto como deve ter percebido.
    E no alto da minha absurda e descontrolada arrogância e prepotência, eu digo que meu Ego-Sistema se sente bem quando alguém admite que respeita o que escrevo. Ninguém ousaria não me respeitar.
    Agradeço sua visita, suas opiniões, suas inteligentes respostas.
    Ah… e obrigado pelo laudo. Já marquei uma consulta adicional… Precisarei de remédios para eliinar as brincadeiras da minha vida. O objetivo agora é me tornar um cinquentão amargo, mesmo sendo diabético e, portanto, tendo o sangue doce como mel…

    Beijos meninas…
    Obrigado leitores…
    Abraços Paulo…
    MM

    Curtir

  12. Kris Arruda Says:

    E não é que esse negócio ficou divertido? Rs… Apareça sempre, Ganso. Bom ter com quem discordar. 😀

    Curtir

  13. Paulo Henrique Says:

    Ora, ora. Não imaginei que minha opinião fosse causar tamanho incômodo. Vejo que despertei a histeria de algumas macacas com meu suposto ataque ao chefe do clã.
    Aliás, ele provou que sabe se defender sozinho, então não se exponham tanto, é constrangedor. Brincar pode até servir para aplacar a angústia, mas também evidencia dependência e fragilidade, como num castelo de cartas. Se uma é atingida, as frágeis caem.
    Pois bem, sinto desapontar a todos, mas infelizmente não sigo este blog, portanto, não sou “descontroladamente atraído pelas opiniões fortes e corajosas” (sic) registradas aqui. Uma vez tendo feito um comentário, faço “vigília” (ou, se preferirem, aciono a opção “notificar-me comentários mais recentes”, logo abaixo da caixa de comentários), para o caso de receber alguma resposta, escrita a duas ou mais mãos.
    Também “não odeio” o autor simplesmente porque sou homem, como foi sugerido num dos comentários inteligentes e profundos de um dos macacos formados pela Harvard. Tampouco o invejo. Ao contrário. Respeito sua opinião e agradeço a resposta franca. Aliás, em tempo: contestei o comentário da leitora Yolanda apenas por se tratar da minha área de formação. A natureza humana, ainda que com toda sua idiossincrasia moral, não prescinde da condição de racionalidade.
    Enfim, esta história poderia estar restrita a uma opinião minha e uma eventual resposta do autor, caso julgasse necessário. Ainda que fossem pontos de vista discordantes, ainda que com farpas e convites bem humorados para debates conceituais sobre empatia, literalismo, superficialidade, medo da morte ou técnicas avançadas para descascar frutas.
    E quanto à minha “raiva”, apenas resultado de um dia ácido. Quem não os tem, que atire a primeira banana.

    Curtir

  14. Patrícia Says:

    Olá Marcelo,
    Sabe o que me diverte em seu blog? É a capacidade que você tem de provocar o pior instinto das pessoas. Este teu texto é a prova disto. Você joga uma bomba e provoca as piores reações “humanas”.
    Um leitor agredir suas leitoras é de uma insanidade ímpar. Suas leitoras te defendem com unhas e dentes (garras).
    Tudo isto ocorre porque voce expõe suas opiniões.
    Como sua leitora antiga, penso em criar com minhas amigas Carla e Lúcia Helena (outras leitoras e ferrenhas defensoras) uma associação.
    As Macacas de Chácara Protetoras do MM.
    Que tal? *risos*
    Se bem que já deve existir outra, Os Vigilantes do MM. hehehehehehe
    Os homens te odeiam, Marcelo.
    Será inveja? Freud explicaria……………..

    Particularmente, detestei sua teoria do armamento.
    Também achei bem radical você dizer que somos macacos, mas depois de pensar muito, acho que você está meio certo. Se fosse sua professora, ou te daria Cinco na prova ou Dez e te expulsaria da escola.
    Beijos.

    Curtir

  15. Carla Says:

    Leoas de chácara, macacas de auditório, seguidoras, sobretudo, admiradoras!!!
    Mostre-se do mesmo alto nível e terás as mesmas pessoas te seguindo. Pelo comentário ofensivo e pouco inteligente, não acho que consiga.
    Aceite a opinião alheia tanto quanto quer que aceitemos a sua. E melhore seu humor, isto aqui é um Blog apenas e não um tratado.
    Pare de ler, será que consegue ou as opiniões fortes e corajosas do autor do blog o atraem descontroladamente?
    Somos racionais apenas na teoria. É só você ler os jornais e pensar: Tanta violência no mundo é coisa de racionais? E não diga que é minoria porque não é. E mesmo que fosse, se o humano é racional, não deveria haver nenhuma violência.
    Abra os olhos e aceite que outras pessoas podem ter razão.
    Um beijo grande e boa semana para você.
    Carla

    Curtir

  16. MM Says:

    Olá Paulo Henrique,
    Creio que você foi extremamente literal ou raso em sem comentário. Ainda estou em dúvida, mas pendendo para um lado.
    Usei “inteligência” de forma muito mais abrangente do que simplesmente capacidade de estudar ou qualquer outra bobagem a que você se referiu. Seja literal ou raso novamente e entenda como quiser o meu “bobagem”. Acho que não será por aqui que vamos conseguir conversar sobre esse tema, mas um debate seria bacana, até porque, é discutindo que se consegue evoluir, mesmo que sejamos macacos.
    Penso da maneira como coloquei no texto, lembrando que estou ampliando o significado da inteligência, afinal, não creio ser inteligente “encher o cu de dinheiro” e com isso provocar o mal dos outros. Enfim, é mesmo papo para horas.
    Sobre o que comentou das minhas leitoras, achei bem indelicado e ridículo você as chamar de leões – ou macacos – de chácara. No mínimo bem pouco inteligente, mas eu o perdôo, afinal, você não passa de um macaco que sabe escrever. Assim como eu, assim como a maioria alfabetizada.
    Você pode e deve contestar todas as opiniões que quiser, é livre, entretanto, deve entender – caso sua capacidade permita – que pode e deverá ser da mesma forma contestado. Sinto em te informar, mas você não é o dono da verdade.
    Até porque caro leitor, não existe opinião certa ou errada, apenas diferente.
    Entendo e aceito seu ponto de vista, afinal você deve ser daqueles que tem medo de morrer e acha o máximo as pessoas lutarem pela sobrevida, mesmo sabendo que a única certeza que temos na vida é que a morte virá, mesmo sabendo o que envelhecer a população gera…
    Gostaria mesmo de conhecê-lo e falar mais sobre certos temas, como empatia, por exemplo. Tenho uma boa teoria sobre isso e queria mesmo descobrir se você que, tão sabiamente abordou o tema em seu comentário, consegue de fato fazer uso desta rara capacidade em seu dia-a-dia. Se consegue, parabéns, és um macaco acima da média, mas creio que seja mais balela do que verdade, afinal, você demonstra conhecer a capacidade, mas em nenhum momento dos seus comentários ficou claro que você a usa.
    E olha que estudei para isso, para descobrir e detectar as capacidades das pessoas, até porque, também sou um macaco evoluído, inclusive já aprendi a descascar bananas.
    Achei que sua resposta à minha leitora Yolanda foi, além de indelicada, um tanto quanto revoltada… será que não passou da hora de você trabalhar essa sua raiva numa terapia?
    Por último, agradeço a vigília em meu pequeno espaço e lembre-se:
    O mal da humanidade são os seres humanos… rs
    Abraços,
    MM

    Curtir

  17. Alex Sami de Arruda Says:

    Toda afirmação, teoria ou como vocês quiserem intitular o conteúdo deste Texto tem sempre mais de um modo de ser visto, interpretado e aceito. Há verdades nele que vale refletir. Esta é a parte que deve ser absorvida, pensada e usada como agente tranaformador. Já a Teoria do Armamento, pura e simplesmente num Planeta Cíclico realmente diminuiria em escala os problemas atuais. Certamente. É a Lei dos Grandes Números. Mas, os “problemas” continuariam a existir com menos humanos, mas voltariam a crescer com a metade
    restante. Sempre há “A RESISTÊNCIA”. Logo, não haveria vitória absoluta. E a matança desenfreada seria mais um capítulo da história Um tipo pseudo-nazista. Sempre foi assim! O bem vence o mau.
    O que eu não poderia, num Texto tão polêmico, era deixar de fazer um COMENTÁRIO.
    ENVIADO VIA IPHONE

    Curtir

  18. Paulo Henrique Says:

    Tb concordo que as leis de Darwin não deviam ter sido burladas. Mas o fato, em si, já prova que há inteligência.
    Se vamos e estamos pagando o preço disso, aí a conversa é outra.
    E o que seria a humanidade, se não “um monte” de indivíduos?

    Curtir

  19. Paulo Henrique Says:

    Opinião esta que pode ser contestada, não? Ou o espaço é restrito ao monopólio de “seguidores”? Só há inteligência na concordância? Entendi o texto muito bem. Apenas não concordei com nada. E já percebi que me equivoquei ao perder tempo de expor minha opinião num espaço cheio de leões — ou seriam macacos? — de chácara. Lamento por uma verdade que precise ser tão defendida. E não, Sra. Yolanda. Não somos irracionais na maioria do tempo. Agindo bem ou mal, ética ou egoísticamente, somos e seremos, sempre, racionais. É uma condição inerente ao ser humano. É de surpreender que um psiquiatra desconheça isso.

    Curtir

  20. Kris Arruda Says:

    Ganso. Sim, como indivíduos vivemos muito melhor. Maiores expectativas de vida, anestesia, voltamos a andar. Com isso “trapaceamos” a evolução que mataria milhões de nós, menos adaptados ao mundo. Legal? Ótimo, podemos conviver com quem amamos por mais tempo. Temos ainda vivo gênios como Stephen Hanking graças a evolução de nossa medicina moderna. Porém temos um mundo inchado, que não suporta esses 7 bilhões de pessoas. E mesmo que suportasse, seria a base de muito estrago no próprio planeta, inviabilizando nossa existência a longo prazo.

    Tudo que inventamos desde a Revolução Industrial, a catapulta da evolução moderna, causou os maiores problemas atuais da humanidade.

    Portanto, a humanidade, como um todo, que consome e produz, é inteligente? É inteligente gastar fortunas pra comprar um carro e depois pagar mais pra correr na academia?

    Pense na humanidade. Não no indivíduo.

    Curtir

  21. Yolanda Says:

    Creio que o Sr não etendeu o teor do texto. A inteligência aqui é no sentido de racionalidade. Como psiquiatra afirmo categoricamente que é verdade o que o Marcelo Mello quis dizer: Somos irracionais na maioria do tempo. De resto, creio que seja bem mal humorado para não entender o tipo de texto que o autor deste blog escreve: Nunca são textos chatos, pelo contrário, são sempre divertidos e cuidadosos no sentido de expor apenas e tão somete a opinião do autor.

    Curtir

  22. Paulo Henrique Says:

    Grande bobagem. O ser humano que você usa como exemplo é inteligente, sim. A questão é que ele usa essa capacidade de forma egoísta e pensando apenas em benefício próprio. Isso não é falta de inteligência nem de bom senso, mas apenas ausência de empatia e moral coletiva. O princípio do “que se dane o próximo”. Alguém deixa de ser inteligente apenas por que mata? E quem criou o Big Mac e encheu o cu de dinheiro, é burro? Inteligência não é sinônimo de evolução. É possível ser inteligente e mau. Inteligente e amoral. É possível ser inteligente e ainda assim levar a humanidade ao caos.
    E diga para esse filósofo contemporâneo rever os conceitos dele, pois nem toda evolução tecnológica veio em nome da preguiça. Existem órteses e próteses, por exemplo, que permitem a comunicação e locomoção de pessoas com deficiências até então incapacitastes; softwares, tablets e programas sofisticados para design, comunicação, simuladores. Avanços em testes e pesquisas com células-tronco que talvez resolvam condições e doenças. Ontem mesmo foi divulgado um novo tipo de laser com 90% de eficácia contra o carcinoma. Desculpe, mas a generalização é que é preguiçosa. E a massa de manobra que concorda sem pensar, também.

    Curtir

  23. Anônimo Says:

    Sua teoria do aramamento vai completamente contra qualquer bom senso.

    Curtir

  24. Mariana Godói Says:

    Vc é odioso, (rsrsrsrsrs) contudo, muito inteligente.
    Odioso pq joga na cara verdades que não pensamos nunca.
    Inteligente pq sempre consegue ver um espaço para olhar os outros lados de todas as questoes.
    Estou dividida. Mas pendendo para ter gostado deste texto.

    Curtir

  25. Gisele Says:

    Adorei seu texto. É novamente um tapa na cara da sociedade.
    Estou refletindo desde ontem sobre isto. Parabéns pela coragem. Liberdade é isso.
    Abraços

    Curtir

  26. José Carlos Says:

    Ideia estapafúrdia. Vai derrubar a teoria de que humanos são racionais? Há provas de que somos racionais e apenas uma minoria age com irracionalidade.

    Curtir

  27. Marta Says:

    Absolutamente genial. Não há radicalismo e sim uma profunda e pertinente reflexão. G E N I A L.

    Curtir


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: