Alicerce Gelatinoso

Muito se fala sobre a construção psíquica dos seres humanos. Pouco de fato se aproveita. Além disso, há certa tendência em enfatizar a necessidade primária da socialização do ser que, na minha singela e humilde opinião, vai completamente na contramão do que deveria ser. Tentam nos preparar para viver em sociedade sem que tenhamos uma estrutura individual necessária para tal. Indivíduo vem antes da sociedade. É a ordem natural da existência humana, mas isso fica para um próximo texto…

Retomando, vou explicar o que penso: A estrutura do ser humano está alicerçada em cima de uma gelatina.

Sim, uma gelatina chamada Família. É como construir um edifício que tem que ficar em pé por 70 anos, em média, sobre uma fina camada daquele doce que vem em caixinha. Não vai funcionar.

As famílias são egoístas, criam seus dependentes para que sejam eternamente… dependentes. Mas vão além disso, querem que suas crias acreditem no que eles crêem. Em outras palavras, a liberdade é zero. É como se eles pegassem o que Deus nos deu, o livre arbítrio, e jogassem no lixo.

Peguei pesado? Não, não peguei não, basta olhar as coisas com olhos bem abertos. Até entendo que durante um certo período de nossa existência, a única referência que temos é a família. Mas… depois de uma determinada idade, os pais, que deveriam nos incentivar a ser livres, insistem em manter o controle. No mínimo, insistem em continuar exercendo uma boa dose de influência em nossas escolhas e decisões.

Por que é que fazem isso? Bem, uma resposta clara não existe, afinal de contas, uma das coisas que os humanos mais apreciam é não colocar as cartas na mesa. Todo mundo morre de medo – ou vergonha – de assumir uma postura, seja ela qual for. As pessoas cada vez mais têm medo de expor seus pensamentos, como se existisse uma auto-censura.

Já perguntei a muita gente por que é que insistem em exercer influência na vida dos filhos e a resposta que obtive foi sempre a mesma: “Eu? Influencia? Jamais, crio meu filho para o mundo e não para mim…”

Mentira deslavada. As pessoas criam seus filhos para elas, jamais para o mundo. Como disse, as respostas não são claras porque são mentirosas. Mas no fundo, há de fato uma série de motivos, o mais comum, o medo de serem superados. É, parece esquisito, mas a verdade é que os pais morrem de medo do sucesso dos filhos. Já escrevi sobre isso tantas vezes que estou até cheio do assunto.

Família, dizem por aí, é o berço de tudo. Bom, eu creio nisso como creio em Deus. É sim o berço de tudo, inclusive dos problemas psíquicos que todo ser humano carrega ao longo da vida, no caso dos mais fortes, por boa parte da vida. Aos mais fracos – nem sei se é esse o termo adequado – digo que é preciso de dar um grito de liberdade.

Vejo que há no mundo muita gente – entenda-se: seres adultos – que ainda permitem que as famílias exerçam demasiada influência em suas vidas. Atrapalham carreiras, escolha de profissões, empregos, relacionamentos então, nem se fale…

O que temos que entender é que a estrutura familiar é fraca. Nem sei se é o caso de entender porque sei que se fizermos uma forcinha entendemos, talvez seja o caso de aceitar sem medo de parecer errados.

Como em todas as relações da vida, há que se ter afinidade. Não é porque temos o mesmo sobrenome que somos obrigados a aceitar a proximidade das pessoas. Em todas as outras relações que temos, nós é que escolhemos quem é que vai poder ou não ter influência em nossas vidas, não é? Pois então, qual a dificuldade em incluir a família nesse pacote?

Algumas pessoas tendem a culpar Deus e o mundo por uma série de coisas que acontecem. Raramente se olham no espelho e apontam o dedo para si e, pior, normalmente isentam a família. Bem, é tudo uma questão de abrir os olhos.

Mesmo que as famílias tenham boa parcela de responsabilidade do que acontece, há que se ter a exata noção de que ninguém nos faz mal se não permitirmos.

MM

Anúncios
Publicado em Ego. 11 Comments »

11 Respostas to “Alicerce Gelatinoso”

  1. MM Says:

    Hahahaha…boa…
    Concordo, tudo tem a ver com afinidade…
    E eu tenho ótima afinidade com a minha familia. Só não permito que invadam meu espaço.
    Tenho muita dificuldade de me relacionar, principalmente com anonimos…rs
    Dica: Sentimento, amor, doação são a principal causa do sofrimento. Pense nisso e doe-se bastante…rs
    Abraços e apareça.

    Curtir

  2. Giovanna Says:

    Olha Marcelo, é claro que o assunto é polêmico e você pega pesado e enfia o dedo na ferida. Sinceramente eu concordo com o que diz porém isso não me impede de sentir raiva de mim mesma por que deixo minha familia se intrometer na minha vida. Esse assunto é terrivel.
    Sinto raiva de mim e de você por me lembrar que tenho uma familia intrometida. Sou dessas que ama tapar o sol com a peneira.
    Tenho cura?

    Curtir

  3. Denise Says:

    Uma verdade incomoda muita gente, muitoas verdades incomodam muito mais.
    Exceltente seu texto, as usual.
    Beijos

    Curtir

  4. José Carlos Says:

    Faço coro à Maria Augusta. Um absurdo mexer com as familais, algo sagrado e que deve ser preservado pelo bem da humanidade.
    Mas o que esperar deste blogueiro? Nada além de insanidades.
    Escreve bem, ms as ideias são absurdas.

    Curtir

  5. Edu Garcia Says:

    Sabe que você tem essa pegada dura e é disso que esse povo precisa? Sou fã do que escreve e principalmente da maneira aberta que diz o que pensa.
    Texto sensacional, um dos melhores que já li na vida.
    Abraços,
    Edu.

    Curtir

  6. Maria Augusta Says:

    Olá Marcelo,
    Seu texto, apesar de escrito magistralmente bom tem em seu conteúdo uma apologia contra a instituição mais sólida que esxiste que é a familia.
    Sinceramente, acho que quem deve abrir os olhos é você. Normalmente discordo de seus pontos de vista, acho-o muito duro com a realidade, mas desta vez discordo veementemente.
    Perdoe-me pela sinceridade.
    Abraços

    Curtir

  7. Aline Says:

    Assunto polêmico, não?! Texto realista!

    Curtir

  8. Patricia Says:

    Visão verdadeira para uma filha de 37 anos. Visão assustadora para uma mãe de um menino de 2 anos.
    O que você quer, Marcelo, me enlouquecer?
    Conseguiu.
    Sem beijos hoje. rsrsrsrs
    Paty

    Curtir

  9. Lidia Says:

    Amo seus textos, mas este está odioso. Absurdo. Família é tudo de bom na vida das pessoas. TUDO.

    Curtir

  10. Gabriela Says:

    Olá Marcelo,
    Para quem leu seus livros sabe como você pensa. Sabe sua visão sobre família, como você mesmo definiu no Desconforme-se, visão atrapalhada.
    Eu não sei se te dou ou não razão por este texto de hoje, confesso que terei que ler mais de cem vezes para absorver suas “””doces””” palavras. Sei que são verdadeiras, mas é dificil digerir numa linda manhã de primavera.
    Pilula dura de engolir.
    De qualquer forma, você continua escrevendo hiper bem, *rs*
    Beijos

    Curtir

  11. Yolanda Says:

    Bem Marcelo, estou abismada com a sua lucidez. Aproveito e peço autorização para imprimir mais este texto divino. Todos os mais graves problema psiquicos que eu, você e colegas tratamos em nossos pacientes vem da família, não é mesmo?
    Repito, divinamente você fez novamente a analogia perfeita: A familia é uma base gelatinosa, irregular, temerária. Sua visão é inacreditavelmente verdadeira e se me permitir um elogio profissional, você deve ser idolatrado pelos seus clientes.
    Parabéns novamente pelo texto, e sinto-me obrigada a dizer: Obrigada por mais esse toque sensacional.
    Abraços,
    Yolanda

    Curtir


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: