Intolerância Zero

Ando meio assustado com a intolerância que reina por aqui. Não sei se por aí onde você está lendo isso também acontece, mas aqui em São Paulo a coisa está feia.

Nem o tal Espírito Natalino muda certas pessoas. Claro que estou brincando, a maioria nem faz idéia do que se trata o Natal, querem apenas consumir e ponto final. Mas a verdade é, agora sem brincadeira, que as pessoas estão completamente desgovernadas, descontroladas e isso me faz pensar que somos talvez a pior espécie de animais que habitam o planeta.

Por uma simples razão, somos dotados de inteligência. Quer dizer, isso é o que dizem alguns cientistas, eu discordo veementemente. Acho que somos dotados de consciência e nem todos de inteligência. Ora, se em teoria somos conscientes, por que é que muitas vezes agimos como perfeitos idiotas sem um pingo dessa consciência?

Eu não tenho essa resposta. Infelizmente. Mas é fato que somos meio hipócritas e nessa época do ano tentamos – em teoria – nos abastecer do tal Espírito Natalino para que tenhamos todos um melhor convívio em sociedade. Em teoria, não na prática.

O mesmo cara que fecha o cruzamento numa esquina – consciente do que está fazendo – é o cara que reclama na esquina seguinte que fecharam o cruzamento por onde ele quer passar. Como pode uma coisa dessas? Qual regra é a que vale para um cidadão (Cidadão é pura força de expressão nesse caso) desse naipe? O que rege um cara desses? A regra do Vale Tudo? Vale tudo para ele e não para os outros, diga-se de passagem.  

Sábado fui ao supermercado mais caro de São Paulo, queria comprar um produto que só vende lá e obviamente aquilo estava lotado como sempre. Em teoria estava num ambiente onde as pessoas tiveram acesso à educação, certo? Com toda certeza desse mundo, pessoas abastadas financeiramente tiveram boa educação, boa formação e uma ótima noção de civilidade.

Bobagem, isso é só mais uma teoria infundada. Em determinado momento, um senhor na casa dos setenta anos atravessa com seu carrinho os corredores com pressa. Sem nenhuma cerimônia ele batia com seu carrinho nos outros tentando na base da força seguir seu caminho. Ele deixou todo mundo estressado. Claro que eu e um rapaz atrás de mim tentamos chamar a atenção dele, mas inutilmente, ele seguiu seu percurso como se estivesse sozinho no mundo.

Cadê a educação do tal sujeito? Cadê a tolerância? Sim, ele tem a obrigação de ser tolerante, afinal de contas, ele é – ou deveria ser – consciente de que sair para fazer compras em qualquer lugar nessa época do ano, vai ter que trombar com um monte de gente fazendo a mesma coisa. No caso dele, trombar literalmente.

Ser tolerante não tem nada a ver com ser bobo, babaca. Tem a ver com educação e respeito. Não falo em tolerar o cara que fecha o cruzamento, falo em tolerar o trânsito, em ter consciência de que tirar o carro da garagem significa conviver com outros motoristas que estão fazendo a mesma coisa que você.

O que todo mundo quer, afinal? Sair de casa sozinho? Um shopping ou supermercado só pra si?

Ok, eu também quero. Também sou muito intolerante com outras pessoas, mas tento me policiar, tento não causar transtorno, mas é óbvio que viro um ser intolerante quando vejo certas coisas. Sabe aquela coisa de círculo vicioso? Uma coisa puxa a outra e assim por diante. Quando nos damos conta, estamos no meio do inferno, em outras palavras, no meio do caos.

Mas notem, caos gerado por nós mesmos. Se pudéssemos simplificar as coisas, diria aos que saem de casa para se estressarem e estressar o próximo, que ficassem em casa. Simples assim, não quer tumulto, fica em casa, oras bolas.

Acho que tá na hora de alguém começar a quebrar essa corrente, esse círculo. Ter consciência de que isso faz mal à saúde, nossa própria, dos outros e da sociedade como um todo. Como fazer isso é a questão a ser resolvida.

Alguém tem que começar e aí, quem sabe um dia, todo mundo se respeite. Uma das minhas metas para 2010 será justamente essa, ser mais tolerante porque eu ando impossível. Talvez tenha entrado nesse círculo e me contaminado.

Porque consciência eu tenho, você tem, todo mundo tem, basta apenas ter como meta a Intolerância Zero. Será que ando sonhando demais?

MM

Anúncios
Publicado em Ego. 3 Comments »

3 Respostas to “Intolerância Zero”

  1. Denise Says:

    O pior intolerante é aquele narcisista descontrolado. Podemos mostrar nossa indignação sem precisar perder a nossa dignidade.
    Abs

    Curtir

  2. Edi Benevides Says:

    Concordo com você !! E saiba que não é só aí que o a intolerância reina, acho que é no mundo, moro em Recife
    e apesar de ser uma cidade tão linda cheia de praias tão
    belas, lugares tão bonitos e um clima tão tropical, as pessoas estão se atropelando sem o menor respeito com o outro e educação parece que não existe!! Triste não?!
    Sucesso para você e parabéns pelo blog adorei !!!

    Curtir

  3. Fernanda Says:

    Nossa! Concordo com vc…

    Alguém tem que puxar a fila e seguir de modelo…

    Quem sabe assim o respeito impera, mesmo, né?

    bjs

    Curtir


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: