Revirando Lixo

cachorro_lixo

Lembro que uma vez eu escrevi um texto diferenciando Saudade de Lembrança. Eu falei na época que Saudade era querer algo de volta e Lembrança era apenas lembrar sem querer de volta. Não mudei de idéia, ainda acredito nisso.

Não sei por que, ou melhor, até sei, mas os motivos são um tanto quanto esquisitos e por isso não vou escrever sobre, ando meio saudosista. Para falar a verdade, acho que quanto mais o tempo passa, mais saudosistas as pessoas ficam. Aí jogo no mesmo saco todo mundo que conheço.

Um amigo quer comprar de volta seu primeiro carro, seu primeiro violão. Não vai conseguir achar, obviamente, mas ele diz que está empenhado nessa busca. Outro amigo, esse um pouco mais velho do que eu só escuta músicas dos tempos em que tinha 20 anos.

Ultimamente eu ando pensando muito em certas coisas que vivi, talvez as tais experiências culminantes que já escrevi a respeito. Mas uma coisa é engraçada. Diferentemente dessas e de tantas outras pessoas que converso, minha saudade é de momentos, não de épocas.

As pessoas me contam sobre épocas gloriosas de suas vidas e muitas vezes eu faço parte desse passado delas, mas eu não consigo sentir saudade de épocas, apenas de momentos.

Minha adolescência foi fantástica, mas também um tanto quanto complicada. Sendo assim, eu isolo os momentos ruins num compartimento de minha mente que chamo de: Lixeira.

Para esse compartimento eu mando tudo o que de ruim aconteceu, mesmo que tenha sido em uma época boa, mesmo que as partes ruins façam parte de coisas boas como um todo.

No fundo eu acho errado fazer isso. Pelo simples fato de que uma história tem que ter começo meio e fim. Fazendo isso eu picoto a história para me lembrar apenas dos momentos bons. Sim, é claro que isso está errado, deve ser apenas um joguinho da minha mente. Só que, como toda mente que se preza, vez ou outra me vejo revirando o lixo. Vez ou outra é força de expressão, eu faço isso muitas vezes. E conforme o tempo passa… faço mais e mais.

Isolando apenas a saudade, é óbvio que quanto mais o tempo passa mais saudades sentimos, afinal de contas, conforme a idade avança, mais lembranças temos do passado, menos coisas acontecem no presente e temos menos ainda expectativas do futuro. É verdadeira a frase que diz que começamos a morrer no dia em que nascemos. Indo por essa linha de pensamento é fácil afirmar que a minha geração está mais perto do fim do que do começo. Momentos “deprês” à parte, voltemos à lixeira.

Eu dizia que ando – bem, não só eu – revirando lixo. Sim, vamos colocar tudo no mesmo saco novamente, as pessoas se tornam vira-latas com a idade. Claro, entenda-se por “todo mundo” as pessoas que têm essa mania de separar o lixo. Não sei se é a preocupação com o meio ambiente, mas eu, por exemplo, faço isso para preservar o MEU ambiente.

Só que como todo bom vira-lata, volta e meia derrubo uma lixeira para ver o que tem dentro. Como se fosse uma bola de cristal ao contrário, em vez de prever o futuro, tento analisar e entender o passado.

A pergunta que me fiz hoje de manhã na frente do espelho foi: Pra que?

Sem resposta, entrei no banho emburrado. Mas eu até entendo alguns motivos, um deles é que quando se joga muita coisa fora, algo de bom sempre escapa e vai parar no lixo. A pergunta pra que ainda está valendo.

Respostas? Bem, talvez seja porque queira sentir saudades, talvez queira relembrar coisas há tempos isoladas e que foram jogadas fora depois de serem exaustivamente lembradas. Pode ser simplesmente qualquer coisa dessas, até mesmo ver como tudo aconteceu e tentar fazer de novo… ou não repetir nunca mais…

A questão é: Se algo te move na direção de revirar a lixeira é porque alguma coisinha, por menor que seja, ainda te faz bem, ainda te faz sentir falta. Mas também é fato que nossa mente pega pesado, nos prega peças sabe-se lá por quais motivos e nos engana dizendo que alguma coisa boa foi jogada fora e que deve ser reciclada.

Como é que se faz para descobrir a verdade? Revira-se o lixo ou o trata como lixo tóxico enterrando-o perto da camada do pré-sal?

MM

Anúncios
Publicado em Ego. 5 Comments »

5 Respostas to “Revirando Lixo”

  1. guethinha Says:

    as vezes lembranças boas ou ruins aparecem de volta na minha mente porém eu não me preocupo com isto |o|

    Curtir

  2. ROSANA Says:

    nÃO CONCORDO COM O (A)kRIS , TALVEZ NÃO SEJA POR QUE O PRESENTE NÃO SEJA ATRAENTE, TALVEZ SEJA PORQUE O SER HUMANO NUNCA ESTÁ CONTENTE COM A ATUAL SITUAÇÃO, E FIQUE QUERENDO TIRAR PARAMETROS NO PASSADO PARA COMPARAR SE REALMENTE ESTÁ BOM OU SE FALTA ALGO QUE DEIXAMOS ESCAPAR.

    Curtir

  3. Fernanda Says:

    O Kris arrasou no comentário… não tenho mais nada a dizer…

    Beijos

    Curtir

  4. Vanessa Says:

    Oi MM,
    Talvez o texto mais lindo que já escreveu. E o mais profundo também. Eu me considero uma vira-latas de mão cheia.
    Amei!

    Curtir

  5. Kris Arruda Says:

    Ás vezes, o que você tem no presente é tão sem graça, que o que vc jogou no lixo há muitos anos parece mais atraente.

    E muitas vezes é…

    Curtir


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: