Auto-Estima

Egosistema - Autosestima

Ontem eu estava relendo um texto do meu segundo livro, o Desconforme-se, onde falo sobre auto-estima. Interessante. Bom reler coisas que foram escritas em 2005. Não tenho o costume de ler meus textos depois que os publico, mas achei interessante fazer isso ontem, já que hoje eu queria escrever mais alguma coisa sobre o assunto.

Naquele texto eu falei muito sobre como os eventos externos baixam nossa auto-estima e hoje, depois de tanto tempo, minha experiência diz que nós mesmos somos os responsáveis por esse problema.

Eu sou um tanto quanto duro com meus clientes, normalmente não os trato como “bichinhos”, não sou de passar a mão na cabeça. Acho que os tratamentos devem ser rigorosos e objetivos e não subjetivos e lentos. Mas isso é outra história.

Por que falei isso… Olha só, como eu disse, vejo que nós mesmos nos minamos, nós mesmos nos permitimos ser afetados pelos julgamentos dos outros e pelo nosso julgamento que por vezes pode ser completamente diferente da realidade.

É fato que há muitas pessoas que se sentem inferiores por natureza, afinal, elas acreditam que de nada são capazes. O que é mentira! Mas digamos que eu esteja falando para você aí do outro lado, uma pessoa normal e que sofre com os altos e baixos da sua auto-estima.

Falando duramente, te perguntaria: O que faz a respeito?

Parece simples responder, mas sei que não é. Já tive clientes que ficaram bravos comigo por ter feito essa pergunta, até porque na hora da resposta eles listam dezenas de coisas para justificar o que fazem, mas cá entre nós, que ninguém “nos ouça”, essas listas não condizem com a verdade. O fato é que eles se incomodam porque eu os desafio dizendo que a lista é falsa.

E normalmente é falsa mesmo, pois temos uma tendência a justificar tudo e normalmente apontar nossos lindos dedos em direção aos outros. As justificativas são diversas e nem vem ao caso agora, mas quero que pense sobre isso, quero que pense por que é que sofre com esse lance de baixa auto-estima. Se você não sofre, feche essa tela e continue feliz…

A verdade é que nós valorizamos muito pouco as coisas que fazemos e isso é o que estraga tudo. Sem falar que levamos em conta as opiniões dos outros que – podem ter certeza disso – têm o maior prazer em baixar a auto-estima alheia.

Ora, se leram dois textos atrás, devem se lembrar que falei em contemplação. Não no sentido apenas de “olhar o por do sol e agradecer a Deus por proporcionar uma visão tão linda”. Falo também de contemplar a sua própria vida, as suas próprias realizações que, aposto, são muitas independente da sua idade.

Contemplar é algo positivo. O que fazemos, sei lá por que, é constatar que o que fizemos não tem lá grande importância. Um contraponto, afinal de contas, repito e repetirei bilhões de vezes se necessário for: Viemos ao mundo para inflar nossos Egos.

Podem os psicólogos torcer o nariz, mas eu acredito que essa é uma verdade absoluta, nossa função aqui é essa pura e simplesmente.

Um dia desses, eu estava atendendo uma cliente e pedi para ela me dizer quais os momentos que ela teve em sua vida que foram realizadores. Ela pensou, pensou e disse que tudo o que havia feito na vida pouco significava porque havia sido “por obrigação”. Eu fiquei P… da vida e, como já a conheço bem, listei eu os seus grandes feitos. Exatamente os mesmo que ela tinha me dito, mas dei outro enfoque, desviando da obrigação e fortalecendo a realização pessoal, o prazer que ela sentira em cada um dos itens.

Ao final, ela me disse: Nunca tinha pensado por este prisma.

Oras bolas, e tem outro prisma? O único que conheço é este, o de valorizar as coisas, grandes ou pequenas, como se fossem feitos absurdamente – vejam a palavra que usei, absurdamente – fortalecedores da auto-estima.

Tudo bem que temos obrigações e elas são chatas e tediosas, mas há que se valorizá-las da mesma forma. Ok, odeia suas obrigações? Elas não te dão prazer algum? Então vamos tentar algo que venho falando há anos…

Conto no próximo texto…

MM

Anúncios
Publicado em Ego. 5 Comments »

5 Respostas to “Auto-Estima”

  1. Ailda Moreira dos Santos Says:

    MM muito maximizar nossas conquistas é uma das chaves do bem estar.

    Curtir

  2. Daisy Franco Says:

    Muito obrigado pelo teu artigo, pois em função de criticas familiares eu estava arrazada. Você me fez rir muito.
    Gostatria que você escrevesse algo sobre a cobrança de perfeição em tudo que a mulher faz em nossa sociedade brasileira.
    Obrigado, e um grande abraço.

    Curtir

  3. Fernanda Says:

    É isso aí…
    O mais difícil da vida não é só não culparmos os pais, a sociedade, o governo ou querm quer que seja, mas encararmos o nosso próprio espelho e admitirmos que tudo que nos aconteceu foi pq escolhemos aquilo, pq insistimos no erro seja por teimosia ou até mesmo para massagearmos nosso ego e sairmos com a errada sensação da vitória.
    E outra coisa muito importante: cada um com seus problemas.. pq se “adotamos”o problema alheio, eles passam a ser nossos e nós ficamos com os nossos e com o dessa pessoa… aí a carga é grande, não tem como não abrir a guarda e nos entristecermos, ficarmos “deprê”.
    É isso aí !!!!!!!

    Bom fds!!!!!

    Curtir

  4. Anônimo Says:

    Oi MM querido,
    Que mania vc tem de deixar suas leitoras cuiriosas, fala do prox. texto e não diz tudo, rssssssssssss
    Bjs
    Drica

    Curtir

  5. Gabriela Says:

    Ótimo texto.
    Parabéns.
    Bjs
    Gabi

    Curtir


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: